sexta-feira, 10 de abril de 2015

Iluminatium...

 
 

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Fantasia de Animais...

 
 

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Poema;Maldição...

Eu caminhei nos bosques sombrios da dor
Meu amuleto era a morte
Presente , pude sentir teus olhos famintos
Querendo devorar-me
Me arrastei no ermo
Rumo a solidão
Dessa maldição, enclausurada na minha alma
Estou no fundo , afogando-me
Eu estive sozinha na floresta da morte
Onde nem árvores tinham vida
Tudo que ali estava , exalava dor , sofrimento e mágoa
Exalava pecado,
Quantas almas , eu senti agoniadas , aprisionadas
Quantas almas eu senti querendo libertar -se
Mas ali se arrastavam na eterna maldição
Almas aflitas, querendo luz
Cegas , vagando nas noites
Ouvia seus lamentos, pude sentir o pavor
Eu caminhei no bosque do desespero
Me vi perdida no meio do nada
Ouvia gritos apovorados que clamavam por ajuda
Pobres almas aflitas
Eu caminhei sem medo
Enfrentei meus pesadelos , agoniei por cada dor
Venci cada uma delas
Até aqueles olhos que me seguiam , querendo apossar de mim
Tive que vencer
Eu não temia mal algum
Venci cada obstáculos, nas noites que eram dias , nos dias que eram noites,
E nessas noites , segui em frente
Onde o ser branco esvoaçante me guiava
E o caminho mais obscuro que passei , foi como um sonho ruim
E ao chegar do outro lado , uma luz tão forte que me cegava e mal pude ver a beleza daquele lugar
Onde o homem de branco sorria
Havia luz , havia homens de asas
E tudo que passei, foi para vencer a mim mesma
Meus medos , e ter certeza de que nunca estive sozinha
Ele estava ao meu lado o tempo todo
Até quando eu, O renegava

Juh Dorphy